Pedro Matias On terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Tendo eu nascido em 1979 e pensando que este era um bom ponto de partida para fazer uma retrospectiva do que se tem passado nos ralis ao longo das últimas décadas, fiz uma pequena compilação de vídeos dos ralis de 1979, 1989, 1999 e de 2009.

A modalidade tem acompanhado a evolução da industria automóvel e as diferenças são impressionantes.

1979


1989


1999


2009


A ver vamos o que nos espera em 2019!

Pedro Matias On

Ap_RBarcelos2011A terceira edição do Rali de Barcelos, que este ano tem como patrocinador a DST, foi apresentada no final da tarde desta segunda-feira, onde foram dados a conhecer todos os pormenores do evento.

O Clube Automóvel do Minho aposta uma vez mais num figurino do agrado de todos, contando que a prova volte a ser a mais participada do ano, tal como sucedeu em 2010, onde os inscritos ultrapassaram a barreira da centena.
A jornada é pontuável para o Campeonato Open de Ralis, Campeonato Júnior, Campeonato Regional Norte, Troféu de Clássicos, Troféu Modelstand, Troféu Fastbravo e Troféu Fiat em Nós.
Barbosa Ferreira começou por dizer que: “É um prazer triplo estar aqui a apresentar a prova, pois trata-se da terceira edição do Rali de Barcelos”. O presidente do CAM prosseguiu afirmando: “Que tudo isto é possível graças ao apoio do presidente da Câmara de Barcelos que é um entusiasta do automobilismo. Por tudo isto, queremos montar o melhor para as gentes de Barcelos e não escondo que a cereja no topo do bolo é, sem dúvida, o apoio que temos este ano da empresa DST”. Depois de explicar sucintamente a parte técnica do Rali, onde salientou o facto de a prova ser em linha, como os ralis de outros tempos, Barbosa Ferreira terminou com os agradecimentos: “A todas as entidades que estão connosco, destacando o Motor Clube de Barcelos, os Moto Galos, bem como a Auto Rabal, Auto Barcelinhos, Mastertent e TMN, para além de toda a equipa do CAM”.
Por seu turno, o presidente da edilidade local, explicou que esta prova: “Continua a ter os objectivos iniciais, ou seja, a promoção e imagem do concelho de Barcelos. Como costumo dizer, este rali é fundamental para colocar Barcelos no mapa. Acho que vamos conseguir, de uma forma mais vincada, ter sucesso, pois pretendemos que a prova seja cada vez mais importante”. Miguel Costa Gomes, continuou o seu discurso, sublinhando o facto de: “Cada vez mais temos vindo a consolidar este evento e não tenho dúvidas que teremos uma prova tão boa ou melhor que em 2010. Temos feito um esforço para o rali visitar as nossas freguesias e por isso este ano a prova irá passar por novas, sendo ao todo 32. Faço votos para que tudo corra bem e chamo a atenção para o factor segurança que é vital para que no final possamos festejar todos”. O presidente da CMB, não quis terminar sem agradecer: “Aos presidentes das Juntas de Freguesia, ao CAM e especial à DST. Posso ainda adiantar que eu próprio serei um dos participantes na prova”.
Quando à DST, o presidente do conselho de administração revelou que este apoio ao Rali de Barcelos: “Está dentro de uma estratégia que passa por investir em sítios onde criamos riqueza, como se passa neste concelho. Nesta altura de crise económica muitos podem perguntar como surgimos a fazer este tipo de investimento, mas gostamos de actuar em contra ciclo”, começou por adiantar José Gonçalves Teixeira que revelou ainda: “Ser errado não investir numa altura destas. Penso que na época em que vivemos a visibilidade é fundamental e por isso aqui estamos”.
Por fim, em representação da FPAK, Hugo Ribeiro da Silva manifestou: “A satisfação com a continuidade do sucesso desta prova organizada pelo CAM. É notável o número de inscritos que tem tido e por isso a Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting não pode ficar indiferente. Acho que estão reunidos todos os condimentos para atingir o sucesso uma vez mais. Felicito a autarquia como a DST que patrocina o rali”.
Este Rali de Barcelos começa com a disputa das especiais de Midões/Chorente (11,87 km), Courel-Cristelo (11.50 km) e Carvalhal/Pereira (5,13 km), na primeira secção. Na segunda, os concorrentes têm que cumprir as classificativas de Vilar do Monte/Feitos (8,47 km), Aldreu/Durrães (8,24 km) e Coussorado/Roriz (19,60 km). Tudo terminará com a Super-Especial Barcelos/DST (4,44 km). Ao todo serão percorridos 169,41 quilómetros, com 69,25 dos quais, a serem cronometrados.


Programa / Itinerário Rali de Barcelos 2011 

Deixo-vos com um vídeo do Rali de Barcelos de 2010:


Pedro Matias On segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

A menos de dois meses do inicio da temporada de Formula 1 e com quase todos os lugares preenchidos espera-se uma temporada muito disputada à semelhança do que vimos em 2010, algumas alterações técnicas que esperamos venham a melhorar ainda mais o espectáculo e a facilitar as ultrapassagens.

Calendário 2011:

2011 FORMULA 1 GULF AIR BAHRAIN GRAND PRIX (Sakhir) 11 - 13 Mar
2011 FORMULA 1 QANTAS AUSTRALIAN GRAND PRIX (Melbourne) 25 - 27 Mar
2011 FORMULA 1 PETRONAS MALAYSIA GRAND PRIX (Kuala Lumpur) 08 - 10 Apr
2011 FORMULA 1 UBS CHINESE GRAND PRIX (Shanghai) * 15 - 17 Apr
2011 FORMULA 1 TURKISH GRAND PRIX (Istanbul) 06 - 08 May
FORMULA 1 GRAN PREMIO DE ESPAÑA 2011 (Catalunya) 20 - 22 May
FORMULA 1 GRAND PRIX DE MONACO 2011 (Monte Carlo) 26 - 29 May
FORMULA 1 GRAND PRIX DU CANADA 2011 (Montreal) 10 - 12 Jun
2011 FORMULA 1 GRAND PRIX OF EUROPE (Valencia) 24 - 26 Jun
2011 FORMULA 1 SANTANDER BRITISH GRAND PRIX (Silverstone) 08 - 10 Jul
FORMULA 1 GROSSER PREIS SANTANDER VON DEUTSCHLAND 2011 (Nürburgring) 22 - 24 Jul
FORMULA 1 ENI MAGYAR NAGYDÍJ 2011 (Budapest) 29 - 31 Jul
2011 FORMULA 1 BELGIAN GRAND PRIX (Spa-Francorchamps) 26 - 28 Aug
FORMULA 1 GRAN PREMIO SANTANDER D'ITALIA 2011 (Monza) 09 - 11 Sep
2011 FORMULA 1 SINGAPORE GRAND PRIX (Singapore) 23 - 25 Sep
2011 FORMULA 1 JAPANESE GRAND PRIX (Suzuka) 07 - 09 Oct
2011 FORMULA 1 KOREAN GRAND PRIX (Yeongam) 14 - 16 Oct
2011 FORMULA 1 GRAND PRIX OF INDIA (New Delhi) * 28 - 30 Oct
2011 FORMULA 1 ETIHAD AIRWAYS ABU DHABI GRAND PRIX (Yas Marina Circuit) 11 - 13 Nov
FORMULA 1 GRANDE PRÊMIO DO BRASIL 2011 (Sao Paulo) 25 - 27 Nov

Pilotos:

Pedro Matias On

Deixo-vos com um vídeo do IRC Rallye Monte-Carlo 2011:
 

Pedro Matias On sábado, 22 de janeiro de 2011

Vou ter um destes nem que seja daqui a 20 anos!
 
Há alguns automóveis que provocam em mim um desejo doentio de ser dono  deles o BMW Z4 M Coupé, o novo Lancia Stratos e agora o Ferrari FF.

Ficam algumas imagens que mostram o potencial da máquina!


Quanto às características técnicas e só para falar nas mais sonantes este novo Ferrari tem  tracção integral, é equipado por um fantástico V12 de 6.262cc que debita 660cv, faz 3,7 segundos dos 0-100 km/h e atinge 335 km/h de velocidade máxima, ainda por cima dá para levar a família toda a passear uma vez que tem 4 lugares!

Notícia Italiaspeed:

Ferrari has revealed the first photographs of the shock new FF, the company’s most powerful, versatile four-seater ever, as well as its first ever four-wheel drive car. The FF - an acronym for Ferrari Four (four seats and four-wheel drive) - replaces the unloved 612 Scaglietti but ushers in an entirely new GT sports car concept. A decisive break with the past, the new car represents not so much an evolution as a true revolution.

This new V12 melds an extremely sporty, high-performance character with incredible versatility, superb comfort and sophisticated elegance, guaranteeing both driver and passengers an absolutely unique driving experience.

Designed by Pininfarina, the shape and proportions perfectly interpret the FF’s harmonious blend of sporting DNA and extraordinary usability.

The FF features the company’s first ever four-wheel drive system. Ferrari’s exclusive, patented 4RM (four-wheel drive) weighs 50 per cent less than a conventional four-wheel drive system, maintaining perfect weight distribution (53 per cent over the rear axle). Completely integrated with the car’s electronic dynamic control systems, the four-wheel drive technology delivers record levels of performance on all terrains and in all conditions via continuous and intelligent predictive torque distribution to all four wheels. The FF is also equipped with the latest magnetorheological damping system (SCM3), as well as the most recent development in carbon-ceramic brakes from Brembo.

Exceptional performance levels come courtesy of the new 6,262 cc direct injection engine which develops 660 CV at 8,000 rpm. In tandem with its transaxle dual-clutch F1 gearbox, stunning acceleration figures (0-100 km/h in 3.7 sec.) are guaranteed. The new model’s class-leading weight-to-power ratio of 2.7 kg/CV, along with its ideal weight distribution, ensures exceptionally responsive handling. The result is that owners will be able to enjoy the FF’s prowess over a wide range of uses: city driving, on low grip or snow-covered surfaces and on the track.
Performance aside, Maranello’s latest model also offers standards of passenger space, comfort, in-car spec and equipment previously unheard of in such a high-performance car. It can comfortably accommodate four people and their luggage, thanks to the best cabin space and boot capacity (450 litres extendable to 800) figures in its category, including four-door cars.

A vast array of personalisation options and accessories has been developed for the FF. These include six model-specific exterior colours and sumptuous interior trim incorporating specially selected and treated aniline leather. The FF, which will make its official debut in occasion of the upcoming Geneva Motor Show, is presented today with the first three photos from a dedicated shoot by Giovanni Gastel.

TECHNICAL SPECIFICATIONS
Engine
Type 65-degree V12
Overall displacement 6,262 cc
Maximum power 660 CV @ 8,000 rpm
Maximum torque 683 Nm @ 6,000 rpm
Dimensions and weight
Length 4907 mm
Width 1953 mm
Height 1379 mm
Dry weight* 1790 kg
Weight distribution 47% front, 53% rear
Weight/power ratio 2.7 kg/CV
Performance
Maximum speed 335 km/h
0-100 km/h 3.7 sec
Fuel consumption and emissions (ECE+EUDC)
Fuel consumption** 15,4 l/100 km
Emissions** 360 g/km

* European market version
** With HELE system

Pedro Matias On quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

Lá fizemos o percurso alternativo para a ligação até Gontim, juntamente com os rituais de aquecimento dos pneus, finalmente chegados ao inicio do troço foi tempo de respirar fundo e começar a ouvir... 5, 4, 3, 2, 1, Go!


Normalmente o nervosismo inicial costuma acabar ao final de 2 ou 3 curvas, mas naquela situação a sensação de desconforto manteve-se até final do troço, talvez a acusar a responsabilidade de levar ao meu lado o campeão nacional de ralis ou por ter feito poucos kms no carro e não me sentir ainda confiante o suficiente para andar como gosto!


Enfim curva após curva aproximava-mo-nos do final do troço e apesar do ritmo não ser de passeio, também não era de todo o ritmo a que gostaria de ter andado, alguns erros estúpidos de condução cuja única explicação que vejo foi a dos nervos... mas acima de tudo com humildade suficiente para perceber que era o primeiro e que o caminho se faz caminhando! Não correu bem nem mal antes pelo contrário, foi esta a ideia com que fiquei, mas acima de tudo, sei que posso fazer melhor e isso é um pensamento reconfortante.

No troço seguinte em Travassós a história repetiu-se, com algumas "atravessadelas" à mistura na parte do asfalto novo e só da parte da tarde é que consegui acalmar as ideias. Apesar de andar num ritmo mais moderado senti que as coisas aconteciam de forma mais natural e como o resultado era o que menos importava pus na cabeça que o importante era chegar ao final do rali sem fazer um restyling prematuro ao Abarth!


Com o passar do dia e com mais kms feitos no "Cinquecento" os índices de confiança iam aumentando e ia-me sentindo cada vez melhor ao volante, as notas do Nuno iam fazendo mais sentido e senti que apesar de não se notar nos cronos finalmente estava a evoluir.


À entrada para o parque de assistência liguei ao Team Manager a quem perguntei: "Então como correu ?? Ficámos em que lugar ??" (apesar de não ser importante, também não custava nada saber em que lugar tinha ficado) ao que ele respondeu: "Não sabes ?? Vem cá ter à assistência e já falamos!", fiquei a achar que a coisa tinha corrido pior da parte da tarde...

Passamos o controlo e a meio da descida para o parque de assistência fiquei sem acelerador... Pensei que ia ficar logo ali e que independentemente do resultado ser bom ou mau, o nosso ia ser nenhum! Acabamos por não ter conversa nenhuma mas lá me disseram no meio do filme de tentar resolver o problema que tínhamos ficado em 6º Lugar, fiquei supreendido e extremamente satisfeito com o resultado final, pois sempre pensei que tudo o que fosse acima do 20º para primeira prova seria um resultado perfeitamente aceitável.


Empurraram o 500 até a uma zona em que daria para levar o carro a descer caso o acelerador não funcionasse mas com a dica do Fontennay "desliga a bateria e volta a ligar" lá o problema se resolveu e fiquei com a sensação que em vez de ser um carro de corridas da Abarth o meu carro devia de levar o simbolo da Microsoft! Enfim problemas de juventude!

Lá conseguimos chegar ao final com o carro a andar normalmente e pronto para mais 100 kms de troços!


Este primeiro rali foi o concretizar de um sonho e o materializar de muitos meses de trabalho neste projecto.

Gostava de agradecer ao Nuno Rodrigues da Silva por ter aceite o meu convite e me poder ajudar nesta aventura, ao Zé Pedro Fontes porque desde Janeiro de 2010 que pegou em mim e me tem ajudado na minha evolução como piloto, ao Nuno Pires por ter construído este carro fantástico e a toda a equipa da Integra Support pelo facto de serem tão apaixonados por este projecto quanto eu, aos meus patrocinadores por terem dado o €mpurrão necessário para que o carro tivesse motor e acima de tudo à minha família que me tem apoiado de forma incondicional desde que comecei a correr.

Agora é só esperar que chegue Barcelos!

Pedro Matias On

Depois de muitos meses de espera o Fiat 500 Abarth R3T ficou finalmente pronto e assim no dia 13 de Janeiro pude fazer os primeiros quilómetros no carro que espero que me venha a proporcionar muitos momentos de puro divertimento, os primeiros quilómetros foram feitos na via rápida junto à Zona Industrial de Santo Tirso perto das instalações da Integra Support.


As primeiras impressões foram boas, sendo que o que me causou mais confusão foi a embraiagem que é radicalmente diferente de todos os carro que tinha conduzido até então... Devo ter deixado o carro ir a baixo entre 5ª feira à noite e Sábado pelo menos umas 30 vezes!


Na sexta feira depois de feitos os reconhecimentos, foi a hora de testar o pequeno escorpião em Várzea Cova e cedo me apercebi que para poder tirar partido do automóvel muitos quilómetros me faltam ainda percorrer ao volante deste. Inicialmente alguns problemas de afinação na suspensão e na travagem retiravam confiança a um condutor inexperiente nestas lides como eu, mas com a ajuda do Mestre Zé as coisas ficaram mais fáceis.




Com um set-up aceitável para esta prova, mas sempre com a noção de que o óptimo está a algumas horas de testes de distância, mas no entanto sem problemas que nos impedissem de participar na prova de Sábado, optamos por participar no rali tendo como objectivos fazer um teste em ambiente de prova e se possível chegar ao fim.


Sábado o dia começou pelas nove da manhã e sentia-me bem, não muito nervoso e menos ansioso, já que grande parte da ansiedade que vinha a sentir nas ultimas semanas se devia ao facto de ainda não ter conduzido o Abarth. Esta calma aparente pareceu durar até à altura em que me sentei no carro para sairmos do parque da assistência, arrancar com o carro, tarefa a que me parecia ter habituado na sexta feira, voltou a ser complicado e a única justificação válida eram mesmo os nervos!!! O Nuno Rodrigues da Silva meio em tom de gozo, meio numa tentativa de quebrar o gelo disse à 3ª ou 4ª tentativa: "Então pá ? Vamos embora ??"


Enfim lá conseguimos sair do parque de assistência e durante a ligação as coisas pareciam ter acalmado um pouco, até porque depois de fazer partidas com 30 carros lado a lado e no final da recta andar tudo no encosto para ganhar apoio para a curva nada me poderia por nervoso.... achava eu!!


Durante a ligação fomos aquecendo os pneus e o Nuno lá me foi dizendo como deveria de encarar o primeiro troço. Parámos para verificar a pressão dos pneus, apertar os cintos, colocar a balaclava, capacete e luvas. Depois de tudo pronto arrancámos e quando chegámos ao troço soubemos do acidente do Saxo Kit Car do Jorge Santos e da Isabel Castro aos quais desejo melhoras rápidas... E assim pelos piores motivos tinha ficado adiada a minha estreia oficial em troços de ralis de Montim para Gontim...

(Continua)

Pedro Matias On quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

É com prazer que vos apresento o projecto do Abarth 500 R3T com que o Team Berner Ficacém irá participar no Campeonato Open de Ralis 2011.


A viatura será conduzida por mim e terei como navegador o experiente Nuno Rodrigues da Silva.


 Esperamos estar presentes já no Rali de Montelongo, no próximo dia 15 de Janeiro.