Pedro Matias On segunda-feira, 31 de maio de 2010

Depois do que vos contei nos posts anteriores, obviamente que a vontade de continuar a correr era mais do que muita!

A partir de Janeiro as negociações com o Nuno Pires começaram e devo dizer que foram muito fáceis, nós tínhamos muita vontade de correr e o nosso Team Manager gosta mais de competição automóvel do que a minha avó de telenovelas...

O projecto elaborado consistia no seguinte, seis provas do troféu mais uma de resistência,  ter um carro que nos permitisse lutar por uma posição no Top 10 da categoria FEUP 2, ter um orçamento controlado a cumprir até final da época e tentar fazer a melhor figura possível!!
A coisa ficou fechada e todas as partes envolvidas ficaram contentes, o processo de preparação da viatura para competição ficou a cargo do Nuno Pires e da Integra Support.

O carro é sempre importante, mas onde garantidamente podíamos retirar mais segundos era na manicure (leia-se Kit de Unhas) e para nos ajudar nessa tarefa escolhemos a pessoa ideal, o Zé Pedro Fontes com a sua paciência de Job aceitou o desafio e agarrou-se a nós com unhas e dentes!

Depois do Punto pronto era altura de o irmos testar e de ter a dita aula com o ZPF, que com carinho tratamos por Mestre, o circuito escolhido foi o de Braga e numa segunda feira tranquila por lá andamos a gastar borracha ao som dos ensinamentos do nosso Mestre. Os resultados foram bons e a julgar pelo entusiasmo quer do Team Manager quer do Mestre superaram todas as expectativas.

Já faltavam poucos dias para a estreia do Desafio Único 2010, que vos vou contar mais à frente.

Pedro Matias On

Entre os dias 9 e 11 de Abril de 2010 decorreu mais uma edição do Rallye Verde Pino, depois da nossa prestação do ano passado a expectativa era mais elevada e mais algumas atenções recaiam sobre o Abarth 500 Essesse que levávamos este ano.

Fizemos algumas alterações ao 500 essencialmente ao nível do peso, onde retiramos tudo o que não fazia falta lá dentro e uma vez que este Abarth 500 irá ser preparado para fazer o Campeonato Open de Ralis de 2011 (depois contarei tudo sobre este projecto noutro post), também não fazia mal, mas confesso que me custou um bocadinho ver um carro novinho em folha a ser completamente desmontado...

(desculpem a qualidade da foto)

Para além disto montamos o Kit Essesse no carro e desta vez não quisemos ficar atrás em termos de pneus face a concorrência por isso montamos uns Toyo R888 Proxes (era proibido levar slicks).
O Nuno Pires fez-nos uma reprogramação do carro que nos permitiu conseguir atingir os 166cv e melhorar o comportamento do carro principalmente nos regimes mais baixos, aumentando também ligeiramente a pressão de turbo.

Nesta edição sabíamos que a concorrência ia ser mais forte, até porque o numero de inscritos era quase o dobro (cerca de 100), mas tínhamos como objectivo melhorar a classificação de 2009 e tentar entrar no Top 5.

Na primeira especial no Kartódromo de Leiria (Milagres) fizemos o 1º lugar... algo que nem eu, nem o Pedro (navegador) esperávamos, partimos no dia seguinte um bocadinho inchados e depois de ouvirmos os parabéns da comitiva lá começamos o rali propriamente dito.

Conseguimos fazer sempre boas classificações nas PEC tendo conseguido ficar em 2º no Caramulo e 4º em Santa Marta e no Kartódromo de Baltar.

Resultado final um excelente 3º lugar, com um Porsche 996 em 1º e um Porsche 997 GT3 em 2º, em 4º ficou também um Porsche 996 conduzido pelo sempre divertido Jorge Diniz.

Depois desta prova, ficámos com a nítida sensação que o Abarth 500 é uma viatura que será extremamente competitiva nos ralis e que para o ano já com outra preparação o nosso objectivo terá de ser o 1º lugar no Verde Pino...





Seguem as reportagens do Jornal do Golfe de Abril e da Revista Topos&Clássicos de Junho.




Pedro Matias On domingo, 30 de maio de 2010

Em Dezembro de 2009 e após um período muito difícil da minha vida, fazer a prova de resistência no Circuito Vasco Sameiro era quase uma necessidade...

A Integra Support tinha disponível o Fiat Punto 85 que tinha feito o Troféu desse ano e eu o Nuno Pombo e o Guilherme Lima tínhamos uma vontade imensa de acelerar e tentar fazer boa figura.

Fizemos um treino umas semanas antes da prova para nos habituarmos ao Punto e à pista, os resultados foram ligeiramente acima do expectável e cedo o Nuno Pires (o nosso Team Manager que é uma mistura de Jean Todt com Ross Brawn, mas numa versão melhorada) ficou contente com o nosso andamento.

Fomos para a prova com a meta traçada ficar no Top 10, na qualificação conseguimos um 9º lugar.

Durante a prova aconteceu-nos de tudo, saltou a escova do limpa para brisas do condutor, na 2ª troca de pilotos falhamos o sitio da paragem e assim perdemos também as hipóteses de um pódio certo... Tivemos que nos contentar com o 10º lugar, a 5ª volta mais rápida da corrida e uma barrigada de diversão, que diga-se para a experiência que tínhamos quando entramos em prova chegar ao fim já era uma vitória...


Pedro Matias On

Em Maio de 2009 recebi um telefonema do Pedro Alves amigo e colega de profissão, que me desafiou a participar naquele que seria o regresso do Rallye Verde Pino.

Esta prova que marcou o panorama dos ralis de clássicos durante anos em Portugal, estava de volta e num formato inovador e promissor, com passagens pelas rampas de Figueiró dos Vinhos, Caramulo e Murça, kartódromos como o de Milagres ou de Baltar e ainda o Circuito Vasco Sameiro em Braga.

Fazia-se duas passagens em cada uma das rampas, sendo que a primeira subida era o tempo de referencia, e tinha que se tentar fazer o mesmo tempo na segunda subida, nos kartódromos e no Vasco Sameiro a historia repetia-se sendo que eram três o numero de voltas.

O carro escolhido foi um Abarth 500 Essesse 1.4 Turbo 16v com 160cv, completamente original, o navegador um amigo de infância o Pedro Rodrigues (experiência de ambos = zero)

Num percurso total de cerca de 700 Kms em que andamos tão depressa nas PEC's como nas ligações, o resultado final foi animador tendo conseguido o 7º lugar final de entre 58 inscritos e sendo o carro de mais baixa cilindrada melhor classificado.

Esta prova foi a minha iniciação no desporto automóvel...



Segue a reportagem da Auto Magazine de 8/2009:


Pedro Matias On sexta-feira, 28 de maio de 2010

Pedro Matias, 30 anos, uma paixão… o desporto automóvel! Toda e qualquer desculpa para poder pisar o pedal do acelerador com mais força é motivo suficiente para o fazer. Nos primeiros 18 meses de carta, 18 acidentes, não por não ter jeito para o volante, mas porque naquela idade nem de desculpas precisava…


Demorei alguns anos até conseguir realizar um dos meus sonhos de criança, muito inspirado pelos livros do Michel Vaillant e pelas histórias que sempre ouvi do meu pai, do tempo em que também ele corria em ralis. Pode ou não ser genético, mas uma coisa é certa, quando nasci o meu pai estava a fazer um rali e soube do meu nascimento pelo controlador…

Várias vezes este sonho esteve para se concretizar, mas as coisas foram-se adiando… Até ao ano passado!

Este blog serve para partilhar as experiências que vou ter ao longo deste novo e estimulante desafio.